Comunicação

O mundo está chato. E você faz parte disso!

Você certamente viu ou ouviu falar sobre o “tchauzinho” de despedida que a repórter Mariana Godoy fez no final do último debate entre os candidatos a Prefeitura do Rio de Janeiro. No momento, a repórter respondia ao comentário do candidato Marcelo Crivella que disse que o sucesso do debate teria sido fruto da beleza das âncoras. Veja o vídeo abaixo:

Logicamente, o assunto tomou as redes sociais, com opiniões de todos os lados, acirrando ainda mais a disputa pela Prefeitura de uma das cidades mais importe do país. Mas precisamos falar de machismo e feminismo. E o que você tem a ver com isso?

Então, o mundo está chato? Está! Sim, preciso concordar que há muito exagero na cautela com alguns preconceitos seja contra negros, mulher e homossexuais.

Mas vamos cair na real! O mundo precisou ficar chato a partir de percebermos as consequências da zona de conforto da classe dominante e isso reflete na VIDA de muita gente!

Bookmark e Compartilhe

Clip-musical, empreendendo para a paz em pequenas atitudes

Trabalho em equipe

Em um mundo tão competitivo, muitas são as competências exigidas pela sociedade. A escola, por sua vez, precisa assumir a responsabilidade e se adequar em busca de processos educacionais que atendam as novas tendências e formem cidadãos mais preparados. Com isso, diversos projetos surgem com enfoque ao empreendedorismo nas escolas.

O projeto intitulado como “Clip-musical” surgiu como uma atividade da disciplina de empreendedorismo do Centro de ensino São José da capital paulista. A idéia surgiu com o objetivo de estimular os alunos a e profissionais a produzirem um clipe e assim desenvolver competências como o trabalho em equipe, autoconfiança, organização, tomada de decisões, entre outros.

Termos: ,

Bookmark e Compartilhe

Designer critica logo da Copa 2014: “É uma porcaria”

por Dayanne Sousa

Logo da Copa do Mundo de 2014

O logotipo da Copa do Mundo do Brasil não representa o país, sentencia o designer gráfico Alexandre Wollner. Autor de mais de 180 logotipos – entre eles alguns bem familiares, como o do Itaú ou da Papaiz – ele ficou bastante insatisfeito com a marca oficial da Copa de 2014. “É uma porcaria”, lamenta.

A piada que ficou famosa no Twitter depois da divulgação do logo nesta quinta (8) comparou a marca com a silhueta do líder espírita Chico Xavier. Wollner também enxergou no desenho um rosto, mas fez uma crítica ainda mais ferrenha.

- Olha bem para o desenho: é uma cara com a mão no rosto dizendo “que vergonha”. Sabe quando você fala “que vergonha” e põe a mão no rosto?

O objetivo do logo é representar a taça da Copa usando mãos que se entrelaçam. A escolha, porém, foi cercada de polêmica. A ADG (Associação dos Designers Gráficos do Brasil) publicou uma nota em que disse que foi excluída do processo pela Fifa. Além disso, o júri que elegeu o vencedor não foi composto por especialistas, mas tinha a modelo Gisele Bündchen, o escritor Paulo Coelho e a cantora Ivete Sangalo.

Para Wollner, o processo foi antiético:

- É isso que é a falta de ética. Não respeitam os profissionais, o profissionalismo.

Leia a entrevista na íntegra.

Termos: ,

Bookmark e Compartilhe

O iPad e o velcro

iPad + Velcro from Jesse Rosten on Vimeo.

Assita o vídeo: “Duas das maiores invenções da humanidade, finalmente juntas”
Nota: trata-se de uma exploração do que é possível, não necessariamente o que é prático.
Como diria o Silvio Santos, a utilização é de sua conta e risco.

Termos: , ,

Bookmark e Compartilhe

Foco nas oportunidades (Parte VII: A barata na cozinha e os riscos)

Seu risco

Um dia desses, descansava depois de um dia de trabalho no sofá de casa, quando ouvi um grito vindo da cozinha. Uma barata! Gritou minha mãe após alguns golpes com o chinelo. Imediatamente foi aberto um inquérito entre os familiares para identificar as causas da invasão. Quem deixou a porta aberta? De onde esse bicho veio? Será que passou pelo armário? Ao ver que a situação estava controlada, sai dizendo que somente me chamassem quando entrasse um dinossauro.

Piada a parte, interpreto a situação como um conflito de interesses. A cozinha tem uma certa relevância para a sobrevivência dentro de uma residência. Independente do seu tamanho ou dos recursos disponíveis, são geralmente utilizadas no armazenamento e preparo de alimentos. Devemos considerar que essas características são idéias para o aparecimento de animais indesejados. Na verdade, uma cozinha é tudo que uma barata sempre sonhou. Isso me permite concluir que esse fato é algo bastante previsível.

Termos: ,

Bookmark e Compartilhe

Foco nas oportunidades (Parte VI: O mercado e a sociedade)

Compras de última hora

Há épocas do ano em que sempre questionamos o motivo pelo qual as pessoas deixam as compras de datas especiais para a última hora. Seja qual for a comemoração, fazemos questão de comprar a “lembrancinha”, mas não é comum evitar apertos e minimizar os riscos com uma compra antecipada. Geralmente ficamos horas na fila, reclamamos do calor e nem sempre saímos com a opção que havíamos planejado, já que, na última hora, até as opções são limitadas.

Então, por que insistimos tanto em manter esse comportamento? Quais seriam as características culturais que nos fazem agir somente na última hora? Mas, também, quais seriam as consequências e as oportunidades que podem surgir com essa falta de planejamento? De fato, não há como dizer que não sabíamos dos riscos ou que a correria do nosso cotidiano seja o principal responsável. Sabemos que esse comportamento vem de muito tempo e passa de geração em geração.

“Isso é um absurdo! Inacreditável! Que falta de bom senso! Shoppings lotados e trânsito lento”. Muitos podem enxergar apenas os problemas. Mas, acredite! Há grandes oportunidades nesse cenário. Em minha opinião, os pessimistas gostam de buscar soluções pelo caminho, talvez, mais curto, porém complicado. Nossa! Por que todos não se antecipam?”. Será que desejar a mudança de uma sociedade inteira é o melhor caminho?

Termos: ,

Bookmark e Compartilhe

O valor da informação (Parte VI – A televisão inicia uma nova era)

A televisão

A televisão (visão distante) é um sistema eletrônico de recepção de imagens e som de forma instantânea. O televisor ou aparelho de televisão capta as ondas eletromagnéticas e, através de seus componentes internos, as converte novamente em imagem e som.

Em 1923 Vladimir Zworykin registra a patente do tubo iconoscópico para câmaras de televisão, o que tornou possível a televisão eletrônica. O primeiro serviço analógico foi realizado pela WGY em Schenectady, Nova Iorque, inaugurado em 11 de maio de 1928. A televisão em cores surgiu em 1954 na rede norte-americana NBC. Já no Brasil, a primeira transmissão de televisão deu-se por conta do leopoldinense Olavo Bastos Freire, que construiu os equipamentos necessários e transmitiu uma partida de futebol em 28 de setembro de 1948, na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais.

De lá para cá a televisão acompanhou a evolução tecnológica tanto em sua qualidade técnica quanto em sua programação. Na publicação anterior (sociedade conectada), vimos como a evolução tecnológica foi capaz de conectar a sociedade através da disseminação da informação. Não há como negar a liderança da televisão nesse processo. Talvez seja possível traçar um paralelo entre o impacto causado pela influência da televisão na sociedade com a importância que a internet exerce hoje sobre a formação social. Enquanto a internet é considerada como símbolo de um era, a televisão influenciou a nossa história e marcou uma época.

Termos:

Bookmark e Compartilhe

Uma devassa repreendida

Paris Hilton na campanha da Devassa

A campanha da cerveja Devassa, estrelada pela socialite (por falta de uma definição melhor) Paris Hilton, foi retirada do ar pelo CONAR, o Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária, após denúncias de organizações de defesa da mulher e de consumidores. A denúncia principal seria o apelo sexual excessivo mostrado no anúncio.

Para quem não viu a tal propaganda, o vídeo está logo no final deste post.

Durante um bom tempo, era muito comum o uso do apelo sexual de mulheres bonitas e com pouca roupa para vender cerveja. E, pelo jeito, dava bastante resultado. Comparando com algumas outras campanhas publicitárias de cerveja, acho que a da Devassa é bem comportada. É só ver algumas propagandas da Kaiser e da Cintra (que também estão no final deste post), por exemplo. Perto de uma das últimas propagandas da Kaiser, a da Devassa é um exemplo de bom comportamento, na minha opinião.

Acho até que algumas chegavam a extrapolar no uso desse “recurso”. Há alguns anos, a Skol colocou no ar diversos anúncios que abusavam muito mais do apelo sexual feminino. E, pelo que eu sei, esses anúncios não foram retirados do ar. Lembro que eu cheguei a ficar incomodada com algumas dessas propagandas. E olha que eu não sou uma mulher cheia de pudores em relação à exposição do corpo feminino. Apenas não concordei com algumas situações que eu achava que expunham a figura da mulher ao ridículo.

Bookmark e Compartilhe

Receba as publicações no seu e-mail

Eventos

  • Nenhum evento encontrado

Arquivo de publicações

Página 1 de 41234
Não há restrição quanto ao uso e reprodução dos artigos aqui publicados, desde que as fontes e seus respectivos autores sejam preservados. © 2017 Quintal Virtual