Convite Abril.com aos blogs: A grande polêmica

Como foi publicado no início da semana, fui convidado a participar de um time de blogueiros selecionados pela Abril.com, os chamados VIPs. Ao mesmo tempo que desconfiei das reais intenções da poderosa editora, me senti honrado pelo “reconhecimento”. Mesmo sendo um convite em massa, com mensagens padrões e passos orquestrados, haveria de existir algum critério para que eu estivesse entre os “selecionados”. Face a enormidade quantidade de blogs existentes, talvez o meu rostinho “bonito” estampado na página tenha sido o “diferencial”.

Parece que a iniciativa da Abril.com está sendo vista com desconfiança e revolta por alguns da blogosfera. Fico feliz em ver que o espírito independente de um blogueiro deva aflorar nessas situações e que a crítica possa promover um debate de idéias e opiniões que sempre expoem as vísceras de qualquer jogo político.

Eu não sou jornalista ou formado em qualquer área similar. Sou analista, formado em Ciência da Computação, tendo como matérias fortes, durante minha vida escolar, a matemática e a física. O português não costuma ser bem articulado entre os profissionais de exatas. Não que sejamos semi-analfabetos, mas há uma certa dificuldade de expor suas idéias de maneira simples e objetiva. Não é por acaso que os livros dessa área são infinitamente mais complicados e cansativos de ser acompanhar. Sendo assim, o blog foi uma maneira que encontrei de exercitar essa escrita e, ao mesmo tempo, filosofar sobre tecnologia e sociedade.

Se você pesquisar por qualquer artigo escrito há meses atrás e comparar com algum atual, perceberá uma evolução incrível. Sei que preciso melhorar ainda mais, mas, para uma pessoa que nunca freqüentou uma aula sequer de técnicas de escritas e que sempre teve na redação e na leitura o seu maior entrave, há de considerar uma imensa vitória.

Ao mesmo tempo, os meus textos não buscam vincular a notícia ou surpreender quem o lê, procurei uma linha de promoção do debate, do diálogo, da reflexão. Assim, todos que aqui visitam terão uma visão imparcial de questões que envolvem o comportamento da sociedade perante a evolução tecnológica, abordado de diferentes ângulos.

Eu acredito que você tenha gostado da minha iniciativa, refletido e visto ser uma forma inteligente e interessante de abordar um assunto polêmico e que envolve a nossa vida como um todo. Bem, é o que eu acho. Se fizer um breve tour pelo histórico no rodapé da página, encontrará muitos assuntos interessantes que aqui já passaram. Porém, tenho a real noção que esse tipo de informação é infinitamente menos valorizada, principalmente no “mundo dos blogs”. Atualmente, tenho servido muito mais para pesquisas escolares, através das buscas do google, do que um disseminador de informação e idéias de fato. Muito longe de referenciar estudos e artigos acadêmicos.

Essa dificuldade, uma caminhada lenta, já era esperada. Nesse aspecto, o blog cresceu bastante. Durante esses poucos meses, não foram somente os textos que ficaram melhores. O layout foi adaptado aos poucos, incorporando ferramentas de apoio e se tornando mais atrativo. E a minha participação nas comunidades e em outros blogs me ajudaram bastante (comentando, “linkando” e sendo “linkado”). Mas o mais gratificante foi receber de amigos e “desconhecidos” (que viraram contatos profissionais) elogios, críticas e reconhecimento. Quem é blogueiro sabe que o mais gostoso nessa história toda é sabermos que tem gente lendo e se identificando com as nossas idéias. Mas, reconheço que tudo isso faz parte do jogo.

Além de melhorar a escrita, o debate e o interesse sobre um assunto que gosto, a idéia de ter um blog veio a partir de leituras de artigos acadêmicos estimulados pelos professores da pós-graduação. Já achava fundamental a um profissional possuir um biblioteca (original) como referência em casa, se interessar, procurar ler e escrever artigos também induz valor para um bom profissional. Por isso as publicações possuem esse tom de artigo. Quem sabe, no futuro, poderei reunir todas essas idéias e servir de base para publicar um livro sobre a evolução da tecnologia? Tudo isso, gradativamente e sem compromisso.

Agora, o que acontece quando você recebe a proposta de escrever esses mesmos artigos em uma ferramenta de blogs com um “qualquer” vínculo a um portal de notícias de grande porte? Mesmo que seja um em um milhão de VIPs, esteja sendo “usado” para promover uma ferramenta ou agregar mais conteúdo para uma empresa poderosa, pessoalmente, ainda será vantajoso.

Mesmo assim, faço ressalvas, que a referência e autoria possa sempre ser respeitada quando esse conteúdo for aproveitado “gratuitamente”. Ainda sim, estaria firme no meu singelo objetivo de me tornar um profissional melhor capacitado e reconhecido. Até porque para alguns, ter um artigo seu publicado em uma revista de grade circulação vale mais que muito dinheiro. São diferentes pontos de vista. Talvez, algum dia, quando tiver o reconhecimento desejado, possa abrir mão de qualquer “ajuda” e seguir novos rumos. Com certeza, agradecerei a todos que, de alguma forma, me ofereceram uma oportunidade, ínfima que seja.

Talvez, como diz em uma das críticas, parte das reais intenções da editora: “Diminuir a pressão da crítica contra o seu reino ou, somente, as ter em seu poder”. Tanto faz! Em uma visão capitalista de marketing, a idéia pode ser considerada brilhante, e quem não o faria? É mais um motivo para comemorarmos a grande evolução e força que os blogs vem conseguindo nos últimos anos. Deveríamos comemorar que sejamos considerados como um ponto de solução para problemas enfrentados por grandes instituições.

Apesar de não achar certo criticar por criticar e julgar perigoso desrespeitar aqueles que nunca negaríamos uma mão estendida, vejo com bons olhos as críticas feitas. Acho realmente válidas e inteligentes. Contudo, só faltou entender que o mundo possui diferentes intenções e perfis, que, talvez, a idéia da Abril possa não atender a todos, mas tem seus méritos e, que, seja apenas uma unha de um corpo inteiro, pode ser um bom começo ou, caso contrário, fique apenas na promessa.

Como comentei em uma das críticas que li, que o maior desafio da Abril não seria que fossemos “blogar” lá, mas que os mantesse e respeitassem essa confiança despejada por muitos profissionais. Ainda acrescentei que não traria transtorno algum avaliar a proposta. Até porque não foi assinado nenhum contrato de exclusividade em um período fechado.

Cabe a cada um de nós avaliarmos os melhores caminhos a trilhar. Mas, em um mundo cada vez mais competitivo, dar as costas a um chamado desses pode parecer tanto louvável, visto pelo ângulo da Abril, quanto desperdício, visto pelo lado profissional. Mas, somente o tempo será capaz de nos dizer se foi uma boa aposta ou não. O risco? Voltarmos e continuarmos com o bom e velho blogspot. Pelo menos, a mim, não há nada a perder.

Me permitam encerrar com uma crítica:
Em todas as críticas que li (ponho os links no fim dessa publicação) encontrei afirmações que indicam a falta de respeito em usar um conteúdo fértil e inteligente de profissionais, sem vícios, “contados da forma mais verdadeira possível”, comercialmente, sem um contraponto “justa” ao autor.

Acho as palavras realmente bonitas. Mas, que enfraquecem a nossa luta contra a usura, censura e a livre circulação de informações. Dizendo isso, estaremos pondo em dúvida nossas próprias atitudes quando, sem perguntar, somos capazes de publicar cópias fieis de materiais, reportagens e artigos de revistas, jornais e outros profissionais. Algumas vezes, inclusive, com pequenas alterações e comentários, sem aviso e apenas indicando a fonte. Seria isso que a Abril estaria disposta a fazer e estão tão preocupados?

Não estou dizendo que todos fazem isso e nem, ao menos, que isso é certo ou errado. Mas, sabemos que essa é uma prática comum entre os blogs. Contudo, acho isso ótimo! Nesta “Era da Informação”, promover uma melhor circulação desses conhecimentos pode ser o diferencial para alcançarmos posição de destaque em um contexto mundial. Isso faz parte de um projeto ambicioso de educação continuada de uma sociedade. E, acredito, que as editoras não vão ficar de fora desse processo que considero natural.

Confira o trecho do termo de uso da Abril blog criticado:
= O Usuário concede licença de uso irrevogável, perpétua, global e livre de royalty para uso, exposição pública, publicação, exibição pública, reprodução, distribuição, transmissão, adaptação, alteração e promoção de seu conteúdo publicado nos blogs em qualquer mídia da Abril.
Confesso que o assunto é polêmico. Mas essa não seria a essência dos blogs?

Me desejem sorte!

E viva a tecnologia.

Recomendo fortemente a leitura das críticas:
Me faz um favor? Não lê mais jornal não, tá bom?!
Proposta indecente da abril blogs

Publicações relacionadas

Postado por Rodrigo Seco em 09/09/2008
Bookmark e Compartilhe

7 Comentários to Convite Abril.com aos blogs: A grande polêmica

  1. “Nesta “Era da Informação”, promover uma melhor circulação desses conhecimentos pode ser o diferencial para alcançarmos posição de destaque em um contexto mundial.”

    Claro. Concordo com você Rodrigo. A democratização da informação já é uma realidade. O problema desse caso da Abril não é a proposta em si, mas sim quem fez a proposta, e em que termos.

    Não lembro exatamente onde li, mas imagina que você descobre uma matéria interessante na Época e quer citar no post e linkar. Será que você vai poder? E se por um acaso algum podre seríssimo sobre a Editora Abril estourar? Você vai poder falar a respeito?

    Não sou fã de teorias da conspiração, mas a Abril tem um histórico de situações constrangedoras envolvendo questões editoriais (um reporter da Veja, por exemplo, recebe um formulário para preencher com informações sobre a metéria e envia para o editor e lá eles criam o texto. Isso é extremamente anti-ético, para não dizer criminoso, pois uma série de matérias fraudelentas e caluniosas são publicadas dessa maneira).

    Trabalhar/escrever/colaborar com uma empresa como essa é ter total insegurança quanto à liberdade que você vai ter para escrever.

    A grande crítica que faço é em relação a essa clara atitude de trazer para perto e limitar aqueles que nos últimos tempos têm revelado várias maracutaias que as grandes empresas de comunicação fazem.

    No mais, encarando como uma oprtunidade profissional, de fato é interessante, mas como disse, os termos desse “convite” é que são dignos de desconfiança (muita desconfinaça).

    Produzir e ceder para a Abril gerar lucro para ela e eu não é uma coisa que não entra na minha cabeça.

  2. Fábio Buchecha em 09/09/2008
  3. Você pediu um comentário e eu vou dá-lo a você.
    .
    Para o Rodrigo Seco, este analista de sistemas que tem um blog naniiiico, mas que está bem bonito e com textos cada vez melhores falando sobre um tema interessante e atual, que é o link da tecnologia com o consumo e a sociedade, a proposta da Abril é maravilhosa. O quintal vai virar um parque!
    .
    En-tretaaaaanto, para o DJ Raphael Mendes, para o Caio Novaes, para o Antonio Tabet e para o tanto de bloggeiros famosos que conhecemos e lemos, a proposta da Abril ultrapassa a barreira do ridículo, se acomodando na seara do patético.
    .
    Famosos e Nanicos estão certíssimos. Uns por rejeitarem e os outros por aceitarem.
    .
    Só que, pelo que eu soube, a Abril só está chamando blogs famosos. Se realmente é isso e o Quintal foi chamado por obra do acaso, estou diante do atestado de boçalidade da Abril, que está na mesma mesa que o troféu de coerência Diogo Mainardi.
    .
    E a blogosfera está caótica feito Vita C no copo d´água, o que cria uma terceira situação. Será então, que os blogs nanicos ao toparem esta proposta aparentemente vantajosa não ficarão vistos negativamente pela enorme blogosfera?
    .
    Pode ser que a Abril tenha realmente posto os pés pelas mãos, e com os comentários cada vez mais presentes, talvez nem os nanicos possam gozar de serem “vip´s”.
    .
    Forte abraço, e pense sobre.

  4. Marcus Lotfi em 09/09/2008
  5. Antes do comment: Marcus, o Abril Blogs já existe e é acessível a qualquer um. A área VIP é que é para convidados “famosos”, ou seja, o Quintal é famoso =P

    Vamos por partes, como diria Jack, o Estripador :-)

    “Com relação a não poder criticar a Abril, etc… não acredito que tomarão essa atitude, fiquei com medo sim, mas não há essa condição no “contrato”… muito menos que não posso manter meu antigo blog.”

    De fato não há nada que impeça críticas à editora, mas há sim uma cláusula que permite que a Abril modifique seu conteúdo

    “O que eu deixei claro no meu post foi que as condições e oportunidade apresentada pela Abril pode ser positivo para alguns perfis de blogs e para outros não. No meu caso, é claro que é positivo. Mesmo que insignificante, poder ter mais audiência em um blog com conteúdo profissional pode alavancar uma carreira.”

    Concordo Inteiramente, sem tirar nem pôr. E nenhum momento discordei do seu posicionamento, inclusive, já recomendei seu post a algumas pessoas :-)

    “Pense que eles não são bobos e essa tendência deles é apenas para alvancar a ferramenta que eles criaram, pq a tendência do mercado editorial é esse mesmo. Se você visitar o Oglobo Online, verá que tem essa opção também.”

    É um dos motivos do convite, é verdade, mas não se pode negar que os veículos tradicionais de comunicação estão tremendo na base com o advento dos blogs. Basta ver o caso do NovaCorja, que teve um post retirado do ar por medida judicial apenas por ter feito uma denúncia legítima. Trazer blogueiros renomados para debaixo de sua asa é sem dúvida um maneira de limitar o trabalho deles, que ultimamente têm atingido a imprensa “comum”

    Suas críticas são válidas tanto quanto as minhas, e suas opiniões sempre bem-vindas e aceitas aqui no blog. O mais importante nisso tudo é o debate.

    Forte abraço também.

  6. Fábio Buchecha em 09/09/2008
  7. Ferramentas para agrupar blogs existem várias. O Blogger é uma delas e possui a mesma regra de uso que a Abril, todo o conteúdo é deles!
    Não adianta chorar, espernear ou fazer beicinho… Eles podem fazer o que bem entender com os seus textos, inclusive cobrar direitos quando você ficar famoso e quiser escrever um livro de memórias do blog.
    O que mais me preocupa é a qualidade da ferramenta que a Abril disponibilizará para os blogueiros. Terá as mesmas facilidades do blogger? Será compatível com ferramentas como o Windows Live Writer? Pelo que vejo dos blogs disponiveis nos sites da Editora, não é isso que acontece. Os blogs não possuem permalinks, tags ou qualquer outro recurso que ajude o blogueiro ou os visitantes. Uma vergonha!

  8. Nike em 10/09/2008
  9. Independente de toda essa discussão sobre os termos do contrato impostos pela abril e das funcionalidades fornecidas pelo sistema de blogs, a estratégia que a editora tomou parece ter tido um resultado bastante ruim.

    Basta procurar por abril blogs no Google e observar os resultados da 1º e 2º páginas – excluindo os links da própria Abril, todos os outros são críticas à iniciativa.

    Parece que se eles dependerem de search marketing, eles não vão se dar muito bem…

    Abraço,
    Leandro Feijó.

  10. Leandro em 10/09/2008
  11. Fábio, o Quintal é Famoso? Famoso quem?
    .
    O blog é muito bom, e Rodrigo é meu amigo desde antes da criação da Cibercultura. Mas colocar o Quintal no mesmo balaio que outros blogs já bem estabelecidos ainda é uma injustiça.
    .
    Questão de tempo, pouco tempo, no entanto, até vermos este garoto nos tops da vida!
    .
    Agora, falando do Pois Bem…Blog excelente. Seu sucesso está nas minhas orações, rapaz! Um forte abraço!
    .
    Ah, no meio de tanta gente boa, também participo de um blog chamado Fulanagens – http://www.fulanagens.blogspot.com – queria aprender com vocês…Afinal, a blogosfera é isso, né?
    .
    Abraço grande pra você, Fábio. De novo! E pra ti, Rodrigo, meu irmão, muito sucesso e sorte!

  12. Marcus Lotfi em 10/09/2008
  13. Realmente, os critérios utilizados nos convites ainda não estão claros. Talvez isso possa apimentar as críticas.

    Eu vejo que foi um convite e não uma imposição e cabe a cada avaliar dentro de seus interesses, profissões, o uso que faz de seus respectivos blogs em avaliar a proposta. Só isso… Será que isso é complicado entender?

    Se a ferramenta é boa, se eles estão com pensamentos maliciosos, se ofenderam a blogosfera… como eu comentei no blog do fábio… criticar não é falar mal, mas saber avaliar os diferentes ângulos de um mesmo ponto. Vejo posições polêmicas, mas consigo enxergar pontos positivos. Inclusive para a blogosfera, já ditos no texto.

    Agora, o que define a qualidade de um blog? Acesso? Tempo no ar? Dinheiro que ganha? Qualidade de layout, texto? Realmente, depende de quem o escreve. Como disse no texto, eu sou analista de sistemas/gerente de projetos e não bloggueiro. O Blog não é meu meio de vida e nunca seria.

    Quanto a estratégia, ainda não vi motivo para tando alarme. Eles apenas fizeram o convite e prometeram benefícios que ainda sequer foram anunciados. A empresa é forte, os profissionais competentes… acredito que darão aos VIPs condições, ao menos, interessantes para que nos motive. Caso contrário, eles perderão essa grande oportunidade de ter profissionais, e não bloggueiros, escrevendo para a Abril.

    Como em Malhação para a globo, ao meu ver, os blogs poderiam representar um caça talentos da Abril.com. té pq não serei o Rodrigo recém-formado para sempre.

    Agora, quanto as críticas… ahahah E brasileiro alguma vez deixou de criticar? Isso é ótimo… mas, a única coisa que preguei foi a cautela… “ninguém é criminoso ou mal intensionado até que me prove o contrário”… E, até agora, não vi nenhuma má fé ou algo diferente do que estamos acostumados a ver por aí.

    Adorei os comentários…
    Abraço

  14. Rodrigo Seco em 10/09/2008

Deixe um comentário

Publicações relacionadas

Receba as publicações no seu e-mail

Eventos

  • Nenhum evento encontrado

Arquivo de publicações

Não há restrição quanto ao uso e reprodução dos artigos aqui publicados, desde que as fontes e seus respectivos autores sejam preservados. © 2017 Quintal Virtual